CineApple nº17: “Dor e Glória”, o passado volta sempre

Esta é a edição nº17 do CineApple, que esta semana vos traz o bom cinema espanhol com o filme “Dor e Glória”.

Falar-se de um filme de Pedro Almodóvar transporta-nos sempre para um mundo introspectivo, talvez o mundo que cada um de nós tem, com desilusões e ilusões, alegrias e tristezas, os fantasmas do passado com que muitas vezes nos deparamos novamente, ou que nunca chegaram a sair do espaço da angústia.

É assim que Salvador Mallo conta a história da sua vida no último filme de Almodóvar, “Dor e Glória, o 21º filme do realizador espanhol.

Uma narrativa onde ele próprio se pode retratar nalgum momento desta película dramática.

António Banderas é o actor que interpreta a personagem de Salvador, e faz jus ao mérito que o acompanha há já alguns anos neste mundo da sétima arte. 

E não é para menos, Salvador, um realizador com uma crise de inspiração, cuja vida sem criar não tem qualquer sentido, e que se vê afrontado diariamente com problemas crónicos que lhe causam muita dor, é o mesmo que consegue “ir ao seu passado” e trazer para o  presente sentimentos tão bonitos, de protecção e glória, fraternidade e amor incondicional.

As recordações inspiradoras das primeiras descobertas, marcadas por uma sala cheia de cor e onde o brilho do sol entra nesse espaço enchendo-o de esperança e amor pela vida, é o mesmo sentimento que nos leva acreditar que Salvador se pode mesmo salvar do conflito interior que enfrenta dia-a-dia.

Mais uma vez Almodóvar, atira-nos para uma trama que nos envolve tão crua e docemente para uma rotina que poderia ser a de qualquer um de nós, e onde provavelmente todos temos medo de nos rever.

“Dor e Glória” é tão bom quanto “Tudo sobre a minha mãe”, que lhe valeu o óscar para melhor filme estrangeiro ou “Fala com Ela” que ganhou o melhor argumento original em 2002.

Espero por vocês na próxima semana para mais um CineApple, até lá!

5 Shares: