Apple Watch Gold Edition (2015) foi um autêntico fracasso…

Apple Watch Gold Edition

O Apple Watch foi lançado em 2015 e chegou em três versões de diferentes acabamentos. O Sport de alumínio, o Apple Watch de aço inoxidável e o Edition banhado a ouro.

Cerca de um ano depois, chegaram os Apple Watch Series 2 e a Apple aproveitou para descontinuar a versão de ouro. E isto, claro, teve uma justificação – lógica!

Sabe-se agora que o motivo para isso foram as fraquíssimas vendas desta versão em concreto. Com efeito, passadas duas semanas do seu lançamento (em abril de 2015) as vendas tinham já estagnado.

Quem vem a público revelar estes dados é o conhecido jornalista, Mark Gurman da Bloomberg.

O relatório indica que o resultado das vendas ficou muito aquém das expectativas da Apple. Em tradução livre, “foram muito poucos depois da segunda semana”.

Gurman conta ainda que poucos meses antes do Apple Watch ser apresentado ao público, houve alguns problemas na sua produção. Alguns funcionários começaram a fazer reações alérgicas ao tipo de níquel usado no Watch.

Jeff Williams, atual Chefe de Operações da Apple, era então responsável pelo projeto e pela supervisão do mesmo. Neste contexto, ele ordenou que se deixassem de parte todos os relógios já produzidos e se voltasse a iniciar a produção com um tipo de níquel diferente. Apesar disso, a Apple veio a público defender que o nível de exposição de níquel era inferior ao regulamentado pela European REACH.

Contudo, este não foi o único problema identificado, tendo o Taptic Engine sido outra “pedra no sapato”. Alguns funcionários queixavam-se que este estava muito propenso à corrosão e falhava várias vezes. Com o uso contínuo ambos os problemas se agravavam. Resultado, Jeff ofereceu estes produtos não comercializados aos colaboradores.

Conclusão…

Em suma, apesar de este relatório vir a público tão tarde, e juntando a algumas notícias anteriormente por nós abordadas, (esta e esta), podemos retirar algumas ilações.

Deste modo, Jeff Williams tem vindo a ganhar cada vez mais importância e peso dentro da Apple. A saída de Sir Jony Ive catapultou ainda mais este facto. O que leva a pensar que poderemos estar perante o próximo CEO da Apple. Sabemos que Tim Cook é um excelente gestor, mas falha no que aos produtos diz respeito. E é aqui que a experiência com falhas, como as indicadas em cima, este “know-how” ao acompanhar mais de perto os grandes projetos da Maçã que, a meu ver, ganha força esta ideia.

Todavia, resta-nos aguardar e acompanhar os acontecimentos. E tu que pensas de tudo isto? Achas que estamos a caminhar para o fim da era Cook? Deixa a tua opinião nos comentários.

6 Shares: