Diretora de políticas e acessibilidade global da Apple fala sobre as novas funcionalidades presentes no iOS e macOS

No decorrer da apresentação da WWDC 19, a Apple não esqueceu de dar um especial foco aos novos recursos de acessibilidade presentes nos seus próximos sistemas operativos.

Posteriormente o TechCrunch, teve o privilégio de explorar mais detalhadamente este tema, ao falar diretamente com a responsável da Apple nesta área, Sarah Herrlinger.

O destaque do evento foi inteiramente para um recurso implementado que permite ao utilizador controlar totalmente um Mac ou iPhone/iPad por voz. Porém tanto o macOS Catalina, como o iOS13/iPadOS possuíram mais recursos para além deste, como por exemplo o muito falado suporte ao rato/trackpad.

Assim a Diretora de políticas e acessibilidade global da Apple, começa esta interessante conversa afirmando que a sua equipa tem desenvolvido um excelente trabalho no sentido de disponibilizar em cada sistema operativo da Maçã, vários recursos para cada tipo de necessidades específicas.

Controlo por voz

Na WWDC foi-nos possível assistir a uma pequena demonstração de uma pessoa numa cadeira de rodas a utilizar este recurso. Após a mesma todos os media prontamente elogiaram e enalteceram o excelente trabalho realizado em Cupertino.

Deste modo o TechCrunch em conjunto com Sarah Herrlinger, teve a oportunidade de ver ao vivo esta funcionalidade, que estará presente no próximo iOS/iPadOS e macOS. Constatando assim que o seu funcionamento ocorre exatamente da mesma forma como foi apresentada.

Perante isto é possível no teu Mac executares comandos como “Abrir o e-mail” ou por exemplo no iMessage solicitar algo como “Desejar à Mary um feliz aniversário”. A sua simplicidade vai mais além e é possível utilizar o comando “mostrar números” nos favoritos do Safari, bastando apenas invocar o número respetivo de cada site favorito para o abrir automaticamente.

A juntar a todos estes recursos foi ainda implementada uma interessante opção de mostrar um menu, onde é possível ao utilizador com a voz, executar comandos como clicar, arrastar e fazer zoom.

Contudo este recurso deverá continuar a ser aprimorado de modo a que seja cada vez melhor adaptado a cada utilizador específico. Permitindo a pessoas com dificuldades físicas, interagir de igual modo com os dispositivos da marca da Maçã, não tocando nos mesmos mas em alternativa falando para estes.

Outras funcionalidades implementadas

Adicionalmente Sarah Herrlinger, falou também da importância de uma nova implementação no macOS chamada de Hover Text. Esta funcionalidade até então apenas estava presente no iOS, todavia a Apple achou que seria igualmente útil disponibiliza-la no Mac.

No fundo trata-se de uma adaptação ao macOS da funcionalidade de tipo de letra dinâmico, que amplia o texto no iOS. Ainda que com alguns refinamentos e novidades e desta vez adaptado a um ecrã de maiores dimensões.

Quanto a este recurso resta-nos aguardar para podermos verificar como realmente funciona e para comprovar a sua real utilidade.

Suporte ao rato no iPadOS e iOS

Por fim chegou a altura de falar sobre o recurso que mais se tem falado nos últimos dias no mundo Apple, o suporte ao rato no iPadOS/iOS. Herrlinger afirma que já trabalham neste recurso há alguns anos e que este foi concebido tendo em mente a acessibilidade a determinados utilizadores que não podem utilizar um iPhone ou iPad através de uma interação touch com o seu ecrã.

Desta forma este recurso não deve ser visto como um suporte a mouse tradicional utilizado num PC, conforme Herrlinger sustenta na seguinte afirmação:

Este não é o seu antigo cursor de desktop que funciona como principal método de interação.

Ainda assim, revela que a Apple tem noção e reconhece que vários utilizadores que não possuem quaisquer incapacidades, irão usufruir de igual modo desta funcionalidade, através das seguintes declarações:

Os recursos de acessibilidade podem beneficiar mais do que a comunidade original para a qual foram projetados.

A titulo de exemplo muitas pessoas encontram valor no recurso de legendas ocultas. O nosso objectivo é projetar casos de usos específicos para que possamos fazer chegar os nossos dispositivos a cada vez mais pessoas.

Essencialmente a gigante de Cupertino indica que não irá mudar a filosofia com que inicialmente criou e desenvolveu o iPad e o iPhone. Todavia é de louvar o facto de conseguir com que todos estes recursos cheguem à mesma aos dispositivos e a todo o tipo de utilizadores.

6 Shares: