Melhores recursos do ARKit 3 funcionarão apenas nos dispositivos com SoC A12 Bionic

Tem sido hábito a Apple destacar os recursos e funcionalidades do ARKit nas suas conferências de desenvolvedores. Não foi excepção na WWDC 2019 e o ARKit 3 foi anunciado com alguns efeitos novos de realidade aumentada.

Algumas novidades do ARKit 3 apresentadas são Captura de Movimento, Acompanhamento Múltiplo de Rosto, e a Oclusão de Pessoas. Vamos tentar perceber como funciona tudo isto.

Captura de Movimento

A Captura de Movimento, regista as posições e articulações do corpo e permite que os movimentos sejam reproduzidos ou replicados em bonecos ou objetos virtuais.

Acompanhamento Múltiplo de Rosto

Esta tecnologia permite usar as câmaras frontal e traseira de uma só vez. Assim dá possibilidade ao utilizador de se envolver com avatares virtuais ao usar a câmara TrueDepth. O Acompanhamento Múltiplo de Rosto também permite fazer scan de movimentos faciais ou rastreamento ocular.

A câmara TrueDepth frontal também pode rastrear até três rostos de uma só vez. Mas só se o dispositivo tiver um processador A12 ou posterior. Mas já lá vamos!

Oclusão de Pessoas

Esta tecnologia está interligada com o Acompanhamento Múltiplo de Rosto citado acima. O ARKit 3 apresenta a Oclusão de Pessoas, que pode colocar pessoas e objetos virtuais no mesmo espaço, de forma que pareçam coexistir, e pessoas reais parecerem estar na frente de objetos virtuais.

Para perceberem o funcionamento destas tecnologias vejam o video abaixo publicado pela CNET, feito durante a WWDC 2019.

ARKit 3 não é para todos

O ARKit 3 necessita de processamento elevado e para isso, o SoC A12 é o indicado para este tipo de tarefas.

O ARKit da Apple funciona em dispositivos iOS como o iPhone 6S e iPad de 5ª geração. Mas os efeitos gráficos mais poderosos do ARKit 3 da Apple precisam dos processadores A12, que são os mais potentes.

Os iPhone XS, XS Max e o XR, bem como o iPad Pro de 11″ e o iPad Pro 12,9″ de terceira geração, serão os únicos capazes de processar o ARKit 3, na sua plenitude.

Em conclusão, embora o iPad Air de 2019 e o iPad mini 5, tenham o chip A12, não usufruirão totalmente das novidades, devido à ausência do sistema TrueDepth.

9 Shares: