iPhone 7 leva Apple mais uma vez a tribunal

Desta feita o processo foi movido por um grupo de utilizadores do iPhone 7, por um alegado problema no audio.

Assim, três utilizadores de iPhone 7 apresentaram no tribunal no estado de Illinois uma alegação contra a Apple. Na mesma consta que a Apple apesar de conhecer o problema, não o admitiu como defeito de fabrico.

Todos os queixosos terão visto o seu equipamento sucumbir ao mesmo problema. Aparentemente o defeito parece ser já conhecido entre a comunidade de reparadores. Entre eles apelidado de “Loop Disease”, o defeito baseia-se numa progressiva sucessão de problemas no audio do aparelho. Desde perda de eficácia na opção “mãos-livres“, a deficiência em operações da Siri, passando depois a problemas no microfone. 

No fundo, uma catadupa de problemas em todo o sistema de audio do iPhone 7.

O problema estrutural

Desta forma, alegadamente o problema estará relacionado com o que os queixosos definem como baixa qualidade de produção e design. Neste sentido, a estrutura do iPhone 7 alegadamente sofrerá uma flexão que deteriora a conexão da unidade de audio à placa principal (motherboard).

Logo, esta flexão progressivamente destrói a conexão, provocando todos o defeitos no sistema de audio, podendo mesmo chegar à inutilização absoluta do equipamento.

Aliás foi o que aconteceu a dois dos queixosos. Estes viram o relatório da assistência da Apple informar que o problema surgiu após o termino da garantia oficial. Com o seu iPhone 7 inutilizado viram-se na obrigação de parar o seu uso. Já o outro utilizador foi informado que os problemas de audio na chamadas seriam da responsabilidade da sua operadora de rede AT&T. Mesmo sem solução de qualquer uma das partes e com problemas de audio, o seu iPhone continua a uso.

Um simples fio pode ser a solução

Por outro lado, esta degradação da solda tem sido reparada por muitos técnicos, ao ser substituída por um fio. Embora permita a passagem da informação, este(fio) não sendo estático, não sucumbe à alteração estrutural do aparelho.

Embora haja informações da existência de um programa interno para a reparação deste problema, a Apple nunca o terá confirmado oficialmente. Como tal, tendo findado o período do mesmo, estas situações terão despoletado. 

Agora os demandantes do processo coletivo, acusam a Apple de uma série de violações de garantias, fraude, deturpação e enriquecimento ilícito. Pretendem condenação indemenizatória pelos danos, reparação de todos os iPhones afetados e restantes despesas processuais. 

Problema semelhante no iPhone 6

Nesse caso apelidado de “Touch Disease”, por afetar o ecrã. Um semelhante defeito estrutural provocava a quebra de uma solda. Como consequência o ecrã não respondia ao toque, acabando em algumas situações por ficar inoperante.

9 Shares: