Todas as novidades do evento “It’s Show Time” da Apple

Foi hoje, 25 de março de 2019, que os executivos e parceiros da Apple subiram ao palco do costume, o Steve Jobs Theater, no campus da Apple em Cupertino, para falar sobre subscrições/assinaturas, software, serviços, entretenimento e media.

A Apple já havia lidado antes com estas situações, mas nunca antes um evento se concentrou tão completamente nelas como o evento de hoje. Este dia marcou o assumir da gigante norte-americana, também, como uma empresa de serviços.

Apple TV Channels e Apple TV+

A indústria da televisão clássica está em ruínas e, finalmente, a Apple chega, com quase duas décadas de atraso, aos serviços de streaming com subscrição e encontra-se, agora, pronta para concorrer com empresas como a Netflix. Ou, pelo menos, assim acreditam os executivos da Apple.

Como foi amplamente divulgado antes do evento de hoje, estes novos serviços representam uma combinação de conteúdo original desenvolvido pela Apple e canais de terceiros. Todo o conteúdo será acessível a partir de uma versão reformulada da aplicação da Apple TV.


Os canais de TV da Apple incluirão conteúdo da HBO, Showtime, Starz, Cinemax, CBS, entre outros. O novo aplicativo da Apple TV tem uma interface claramente “inspirada” na Netflix.

Não será preciso um iPad, iPhone ou Mac para assistir aos vídeos de streaming da Apple. Além dos próprios dispositivos Apple TV da empresa, as Smart TVs da Samsung incluirão a aplicação da Apple TV. LG, Sony e Vizio serão as seguintes, depois da primavera. Posteriormente, Roku e Amazon Fire TV também acompanharão a tendência. A nova aplicação da Apple TV funcionará em mais de 100 países.

A gigante da maçã trincada também anunciou o seu próprio serviço de streaming de conteúdo original chamado Apple TV+. Steven Spielberg, Sofia Coppola, Reese Witherspoon, J.J. Abrams, Jason Momoa, entre outros, ajudaram a explicar toda a parceria criativa.

Basicamente, por um lado temos um serviço centralizador de várias subscrições (HBO, Showtime, etc…) através do Apple TV Channels e por outro uma plataforma ao estilo da Netflix, mas apenas com conteúdo original.

Serviço de Subscrição de Notícias e Revistas Apple News+

Tal como a indústria da televisão, os órgãos e meios de comunicação social clássicos, como por exemplo os jornais em papel, também se encontram em declínio. Em 2002 a Google lançou a Google News e em 2015, 13 anos depois da gigante de Mountain View, a Apple apresentou a Apple News.

Hoje, a gigante de Cupertino, deu mais um passo e brindou-nos com um serviço inovador de subscrição de notícias e revistas que conta com reputados órgãos de comunicação social como o Wall Street Journal, National Geographic, Vogue, entre outros.

São cerca de 300 revistas de diversos estilos e algumas com capas interativas, com uma experiência de leitura e interação melhorada no iPad e sem publicidade direcionada. Segundo a Apple a quantidade de publicações disponíveis para o utilizador custaria cerca de $8000 por ano. Porém, a subscrição da Apple News+ custará $9,99 e o primeiro mês é gratuito. Todavia, o serviço tão cedo não estará disponível em Portugal.

Apple Card

Conforme já avançado pelo All Things Apple, a união do Banco Goldman Sachs, da Marstercard e da Apple deu origem a um cartão de crédito inovador.

Tendo o Apple Pay por base, será de fácil subscrição no iPhone e a utilização segura através de TouchID ou FaceID.

Assim, o uso preferencial será através do Apple Pay, no entanto estará disponível uma versão física do cartão. Este será um belo e funcional cartão em titânio, com informação minimalista, para usar onde o Apple Pay não esteja disponível.

Como normalmente acontece neste tipo de cartões existem recompensas associadas. Com efeito, o habitual cash back, ou seja, o retorno de uma percentagem dos gastos pagos com o cartão. Aqui num novo método apelidado de Daily Cash, os utilizadores vão ter o retorno numa base diária e disponível para ser utilizado imediatamente. Este daily cash trará retorno de 2% em compras com Apple Pay, 3% nas compras diretas na Apple e 1% com o cartão físico.

A gestão das despesas e toda a informação inerente estará disponível na renovada app Apple Wallet.

Mais ainda, avança a Apple, o cartão não terá comissões associadas. Da parte dos Juros não foram adiantados valores, só foi informado que serão taxas vantajosas.

Finalmente, o Apple Card vai estar disponível apenas nos Estados Unidos durante o próximo verão.

Apple Arcade

A Apple anunciou também o Apple Arcade, um novo serviço com subscrição de jogos para dispositivos iOS. O serviço incluirá jogos de criadores como Konami, Mistwalker e Sega.

A Google anunciou recentemente a Stadia, uma plataforma de streaming de jogos, que irá acabar com as configurações tradicionais das consolas em favor de uma instalação diretamente nos servidores da Google e jogável em qualquer plataforma que possa correr o Chrome. Embora o Apple Arcade seja uma reformulação menos rigorosa das soluções tradicionais da indústria de jogos, será, no entanto, o primeiro serviço deste tipo e que, inevitavelmente, ajudará os developers com o foco em jogos para dispositivos móveis.

A plataforma contará com mais de 100 jogos exclusivos. Será possível jogar online e offline e em qualquer dispositivo Apple que tenha um ecrã. Ainda não há valores para o montante da subscrição mensal.

Os serviços, Apple TV+, Apple News+ e Apple Arcade têm o denominador comum de poderem todos eles serem partilhados com a família dos assinantes (family sharing).

Podemos por isso concluir que com esta apresentação fica clara a ideia de que a Apple quer que os seus ganhos atinjam também um plano mensal ao invés de estarem dependentes do seu ciclo de produtos lançados todos os anos.


Artigo redigido por: Tiago Vahia Pessoa e Nuno Rocha

17 Shares: