Phil Schiller fala sobre o novo processador A12X Bionic em entrevista

A12X

Não é surpresa alguma que os processadores da Apple são autênticas bestas de processamento. Os próprios benchmarks, ano após ano, têm mostrado isso mesmo. Assim, o novo processador A12X Bionic dos novos iPad Pro não é diferente e quase chega a superar os i7 da Intel que equipam os MacBook Pro 2018 de 15”.

Na sequência deste lançamento, Phil Schiller, vice-presidente de Marketing da Apple e Anand Shimpi, engenheiro do departamento de hardware da empresa, estiveram à conversa com o site arstechnica. Tal como seria de esperar, não pouparam elogios ao trabalho feito com o novo processador A12X Bionic.

Entrevista

“Normalmente só se vê este tipo de performance em máquinas maiores — maiores e com ventoinhas. Nós conseguimos entregar essa performance no iPad Pro, com apenas 5,9mm, porque construimos uma arquitetura excelente, muito eficiente.” – disse Anand Shimpi.

Com efeito, Schiller argumenta que a Apple não olha para a concorrência na hora de fazer um processador melhor. A paixão pelo trabalho, o espírito de equipa e o desafio de fazer cada vez melhor são as bases de trabalho.

“Isto acaba por se tornar naquela coisa incrivelmente autoperpetuante. Quando você percebe que pode criar um Neural Engine, que pode criar um Neural Engine melhor. Quando percebe que pode criar gráficos excelentes, então quer criar outros melhores ainda. E isso apenas acelera, e dá força à organização.

Se você é uma equipa que faz um ótimo chip da série A, bom, no ano seguinte tentará fazer um melhor ainda, certo? É a sua paixão. É isso que vê na Apple como um todo: equipas que são responsáveis pelas suas tarefas e são tão apaixonadas por fazer a coisa certa e melhor e melhor. Nem importa o que os outros estão a fazer.

Assim, espera-se que a Apple mantenha esta liderança no desenvolvimento de processadores para equipamentos móveis durante os próximos anos.

2 Shares: